Jogos Interativos

O nosso processo de aprendizagem tem o objetivo de trabalhar diversas habilidades
por meio de atividades interativas e inovadoras. Conversamos com as professoras Daniela Góes e Sônia Lima, para conhecer quais ferramentas utilizamos e como elas se integram ao aprendizado.

“Recursos digitais complementando o conteúdo pedagógico tornam o aprendizado mais significativo e atrativo, despertando maior curiosidade, incentivando a participação e promovendo a interação entre os alunos e os conhecimentos são transmitidos com dinamismo e a compreensão se torna mais fácil.”
Professora Sônia Lima.

“São muitos os ganhos para os alunos quando inserimos esta prática em nosso jeito de ensinar. Com os jogos digitais, conseguimos desenvolver habilidades das principais áreas do comportamento, contribuindo para uma formação mais sólida e completa do aluno.”
Professora Daniela Góes.

Conheça abaixo algumas competências que os alunos adquirem ao desenvolver diversas habilidades com jogos digitais:

Habilidades cognitivas: poder de decisão, raciocínio lógico, pensamento criativo;

Habilidades emocionais: autoconfiança, lidar com emoções, aprender com os erros;

Habilidades sociais: colaboração, trabalho em equipe, comunicação clara;

Habilidades éticas: agir pensando no bem estar coletivo, respeito ao próximo.

Inserir um game na aprendizagem dos alunos, torna a experiência mais atrativa, além de incentivar o trabalho em equipe.

Veja abaixo alguns exemplos e aproveite para jogar com seu filho:

IXL – Dominar Matemática nunca foi tão divertido. No IXL, a matemática é mais do que números. Com questões ilimitadas, itens interessantes e cenários da vida real, o IXL ajuda os estudantes a apreciar o fascinante mundo da matemática.

Quizizz – É um jogo com questões sobre a matéria estudada. É utilizado para investigar a aprendizagem dos alunos.

Khan Academy – Revisão do conteúdo através de vídeos, textos e parte prática, onde os alunos testam seus conhecimentos.

Wordwall – App que apresenta recursos de atividades interativas, questionários, competições, caça-palavras entre outros. Além da fixação do conteúdo estudado, tem a diversão.

Com os jogos interativos, desenvolvemos habilidades desde a infância, enriquecendo a aprendizagem com conteúdos interdisciplinares. Nosso propósito é oferecer uma educação com vivência integral, aprimorando o relacionamento do aluno, dentro e fora da escola, no presente e para o futuro.

A criatividade é uma das habilidades contempladas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), considerada essencial para o sucesso do “profissional do futuro”. Desde a Educação Infantil, nossos alunos dispõem de espaços e incentivos para nutrir e desenvolver o espírito criativo

De que forma? 

Por exemplo, nossa Escola promove diversas atividades que favorecem a autonomia do aluno, por meio de livros, contação de histórias, contato com a natureza e o uso consciente da tecnologia. Também valorizamos as diversas manifestações artísticas e culturais, encorajando-os a se expressarem livremente. Recentemente, iniciamos o projeto “Novos Talentos”, que busca estimular ainda mais a descoberta das aptidões e interesses do aluno. 

Por que, afinal, a criatividade é tão importante? 

A criatividade é uma das competências socioemocionais previstas na BNCC, que propõem o desenvolvimento do aluno como um cidadão completo, emocionalmente preparado para as relações pessoais e profissionais. Assim, desenvolver a criatividade é fundamental para a aprendizagem dentro e fora da sala de aula, fazendo o aluno pensar em soluções inovadoras para os desafios presentes e futuros.

No Criem, fomentamos a inovação e a criatividade cotidianamente, por meio de projetos colaborativos que favorecem a inclusão e o protagonismo do aluno. Entre eles, destacamos: jogos, brincadeiras sensoriais, gamificação de conteúdos, atividades mão na massa e abordagens de Design Thinking, como a Maratona Hackathon

A cada atividade, seja na Educação Infantil ou no Ensino Fundamental, nossos professores buscam novas abordagens pedagógicas, despertando o interesse daqueles que são “nativos digitais” e aprendem por meio da experiência. O resultado são alunos ainda mais motivados para aprender, com autoconfiança, espírito colaborativo e empreendedor. 

Criem